Potência e elegância: desvendamos a Ferrari SF90 Stradale

CHEGOU CHEGANDO

Antes o recorde da Ferrari batia os 963 cavalos de potência. O dono da marca era o modelo LaFerrari, que não é híbrido. A SF90 Stradale entra no jogo, não só para bater esse recorde, mas também para provar que os italianos não fecharam os olhos para a transformação do mercado.

Os elétricos estão chegando com força – disso a gente já sabe. Para um carro como a Ferrari, por outro lado, não tem como abrirmos mão do barulho delicioso do motor. Por isso, surgem os híbridos. Adaptados ao mercado automotivo mundial, e ao gosto indiscutível dos ouvidos que apreciam um ronco de classe.

E ESSE NOME?

O modelo foi anunciado em Maio. O Stradale é em homenagem ao nome do carro de pista da Ferrari. Na fórmula 1, é assim que se titula a máquina pilotada por Vettel e Le Clerc. O 90 é responsável por exaltar os 90 anos de história da escuderia italiana. Nada mais justo.

A inspiração visual certamente vem do modelo F8 Tribute. São linhas mais suaves quando comparadas às linhas utilizadas em 90% dos modelos da marca. Acima de tudo, um carro de design inovador.

VAMOS AO QUE INTERESSA

No que diz respeito à mecânica, temos um show a parte. São 1000 cavalos de potência gerados pela grande eficiência de um belo conjunto híbrido.  O motor principal é um 3.9 V8 biturbo, responsável por 780 cavalos. Os 220 cavalos extras pode por na conta dos propulsores elétricos (são 3).

A velocidade máxima é de 340km/h – valores de fórmula 1 para a rua. Para ir de 0 a 100 km/h o piloto precisará de apenas 2,5 segundos. Alguém consegue botar defeito? Voar talvez seja até possível.

NOVIDADES QUENTES

Em termos de estabilidade, temos algo brilhante. O eSSC é um controle de estabilidade inteligente. Basicamente, ele distribui constantemente o torque para os motores posicionados nas rodas. A distribuição de potência é perfeita, e flui bem.

Existe também o eTC, um sistema de tração eletrônica de última geração. Ele complementa o time. Por último, os freios: BrakeByWire – com ABS, possui um funcionamento que regenera energia em todas as frenagens.

Não podemos esquecer do design. Ele é único, e de certa forma inovador. Suas linhas, como citado acima, são impessoais e pessoais, ao mesmo tempo. Impessoais pois são diferentes de (quase) tudo que vimos na Ferrari. Pessoal pois cria personalidade para o modelo.

A iluminação é um fator que foi aprimorado. Um conjunto de LED traz luzes diurnas com 3 fachos horizontais. Há uma enorme tomada de ar, além disso, na parte traseira. Extrapola toda a superfície baixa. Veja na imagem.

NA PRÁTICA

Provavelmente, um modelo que chegará com preços expressivos e nada acessíveis. Quem não for comprar, com certeza vai virar um apreciador oficial, entretanto. A previsão é que venha valendo U$600.000,00.  Para ajudar, a edição é limitada. Produção em série.

Prazer.