Os novos usos da tecnologia de reconhecimento facial

Atualmente, o comando de voz nos carros é algo relativamente comum em diversos modelos. Veículos como o Volkswagen Polo e o Volvo XC40 oferecem o adicional de fábrica. Mas você conhece o sistema de reconhecimento facial?

A tecnologia já é utilizada em smartphones e na área de segurança pública. Agora, acima de tudo, os carros também a possuem, um aspecto que visa facilitar seu uso diário.

Desde 2014, a Ford, em parceria com a Intel, trabalha com a tecnologia. Chamado de Mobile Interior Imaging (Mobii), ele pode identificar se o condutor do carro é o dono do veículo ou não.

Além da Ford, a Hertz – empresa de aluguel de veículos – está usando o reconhecimento facial para facilitar a locação de seus automóveis. Ele é usado desde 2018, e funciona de maneira bem simples. Os clientes da categoria Gold Plus Reward só precisam estar cadastrados para pegar o carro e o utilizar, sem precisar passar no guichê da locadora.

Mais do que descomplicar o aluguel e identificar quem está dirigindo, o reconhecimento facial pode ser usado também para facilitar o uso diário. Uma patente registrada pela Apple mostra que o sistema poderá ser usado para destravar os veículos sem a chave.

O sistema será capaz de fazer ajustes no banco, na altura do volante, na temperatura e no volume do som. Tudo com os sensores que estariam dentro do veículo. Apesar de já estar registrado, não há certeza que a empresa o utilizará nos próximos projetos.

Além dos carros

O Sem Parar anunciou na última terça-feira (20), que começará a usar o reconhecimento facial para realizar pagamentos e identificar os passageiros dos veículos. Por enquanto, a novidade será testada nos shoppings Iguatemi e Morumbi, ambos em São Paulo.

A ideia da empresa é ampliar o benefício por trás da inovação para além dos automóveis. “O desenvolvimento desta nova ferramenta vem da nossa missão de oferecer novas experiências cada vez mais fluidas para os consumidores, também fora dos carros”, diz Fernando Yunes, CEO da empresa.

Uma mecânica semelhante é usado na segurança pública. O metrô de São Paulo está investindo na tecnologia, após obter sucesso no Rio de Janeiro e na Bahia. Ela será usada, da mesma forma, nas linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha.

Todo o aparato é presente no mercado China e em alguns países da Europa. No Brasil, ela já identificou e ajudou a capturar criminosos foragidos.