O real potencial do nióbio

Durante as eleições de 2018, o candidato a presidência, Jair Bolsonaro, fez questão de exaltar o nióbio – um metal de transição que alegava ser a salvação do Brasil. Hoje, o material é pouco explorado e ainda desconhecido. Mas será que seu potencial econômico e tecnológico condiz com o que o presidente diz ter? Descubra abaixo.

Propriedades

Nióbio (Nb) é um elemento químico categorizado como metal de transição. Ele pode ser utilizado em diversos setores, desde médico até aeroespacial. Geralmente, o minério serve para criação de ligas metálicas, visando mais resistência e diminuição de peso.

O Brasil foi o primeiro e maior produtor mundial de nióbio e ferronióbio (liga de ferro e nióbio). 75% da produção mundial vem do nosso território. Além disso, 98,4% de suas reservas ativas estão por aqui.

Usos

O principal mercado em que ele é aproveitado é o de construção civil. Já foi base de construção para uma ponte na França, na qual foram usados apenas 0,025% do minério em toda estrutura – um fator que reduziu em 60% o peso do viaduto. Por sinal, o maior do mundo.

Não é só na terra firme que ele se mostra útil. Um dos telescópios mais famosos do mundo, o Hubble, utiliza o Nb em diversos componentes de seu corpo, que vão desde eletrônicos até elementos estruturais.

As ligas de nióbio são resistentes à corrosão e aguentam altíssimas pressões, por isso é utilizada em tubulações submarinas de óleo, gás e hidrocarbonetos. Normalmente, as empresas de extração de petróleo e distribuidoras de combustíveis utilizam estes itens enriquecidos com o minério.

Com o Nióbio, carros mais leves e resistentes podem ser uma realidade próxima. Chassis, rodas de alumínio e de aço podem, acima de tudo, diminuir bastante no peso do veículo. Mais adiante, a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) garante que quando o nióbio é incorporado em baterias veiculares sua vida útil é ampliada.

Não só os veículos terrestres são beneficiados com o milagroso minério, mas também os aéreos. O Nb é utilizado em turbinas de aviões, graças ao seu ponto de fusão, que é 2.468°C. Dessa maneira, ele aguenta altas temperaturas sem perder suas propriedades.

Os equipamentos médicos também podem ser beficiados, pois são produtos hipoalergêncios. O nióbio pode ser encontrado em próteses e aparelhos, por exemplo no marca-passo. É utilizado também em máquinas de ressonância magnéticas e em tratamentos de osseointegração.

Produção

O preço/custo não é problema. Estamos falando de um material barato. Por outro lado, seu trabalho e manuseio são processos caros. Apesar de seus usos diversificados, não existe um mercado muito grande para o produto, pois ele pode ser facilmente substituível em alguns casos. Por mais que não seja um mineral milagroso, o nióbio tem um potencial econômico altíssimo. Principalmente se começar a ser  vendido e explorado no nicho de mercado correto.