O que não fazer perante a crise

Nos momentos de crise, certas atitudes são importantes para evitarem um estrago ainda maior. É claro que é importante saber o que fazer, mas saber o que não fazer, também tem um enorme valor. Confira uma lista do que deve ser evitado nesse contexto –  ela foi baseada num estudo da escola de negócios espanhola Centro de Estudos Financeiros (CEF):

 

1- Negar o impacto da crise

Mesmo que passe por áreas secundárias, a crise provavelmente atinge todas as empresas. 

 

2- Não exagerar na cautela

Manter as contas de curto e médio prazo feitas. Acompanhar cada passo do mercado, para saber quando e se há necessidade de tomar certas medidas.

 

3- Descuidar da comunicação

Manter clientes, fornecedores e funcionários atualizados e cientes.

 

4- Não ponderar os custos e os ingressos para cada cenário

Estime situações de máximo e mínimo risco: é importante prever as ações necessárias para cada situação.

 

5- Passar dos orçamentos para os endividamentos

Ajuste os gastos com os ganhos. O esforço para cumprir as metas é necessário além do esforço para conseguir alcançar o equilíbrio do negócio.

o-que-na%cc%83o-fazer-perante-a-crise-header

6) Descuidar da delegação de decisões

Muitas decisões podem ser redirecionadas, ou centralizadas de novo.

 

7) Continuar com projetos e investimentos sem reavaliá-los

Congele o que à curto prazo não melhora os resultados.

 

8) Não atender as mudanças de mercado

Quanto mais rápida a resposta às variações do mercado, melhor o planejamento.

 

9) Ter uma reação exagerada

A moderação, nesse momento, é necessária. Reduzir muito os empregados, assim como contratar muito não é aconselhável.

 

10) Não prever os possíveis cenários uma vez superada a crise

Pensar no que será feito depois que a crise acabar: aonde atuar e como.