O futuro da energia: startup japonesa investe em usina solar no Brasil

A startup japonesa Shizen Energy criou sua primeira usina de energia solar no Brasil. O projeto foi realizado em parceria com uma empresa brasileira de empreendimentos imobiliários: a Espaço Y. Uma subsidiária da Shizen –  a Fazsol Energias Renováveis – será responsável pelo funcionamento do projeto.

A planta está localizada no núcleo rural de Capão Seco, em Paranoá, Distrito Federal. Ela tem a capacidade de produzir aproximadamente 1,1MWp, e fornecerá eletricidade aos moradores de Brasília e das cidades satélites ao redor.

O projeto ocupa a área de uma fazenda local que cultiva produtos orgânicos. Os donos do terreno serão beneficiados com desconto no valor final da conta de luz. Além disso, eles se tornarão produtores de energia limpa e renovável.

Durante a inauguração da usina, o presidente da Shinzen Energy declarou: “Estamos muito felizes com a conclusão da construção da nossa segunda usina no exterior. É importante promover o uso de energia renovável, principalmente em lugares como o Brasil”.

Dono da sétima colocação entre os países que mais consumem energia no mundo, o Brasil é um mercado em potencial para as alternativas elétricas renováveis. Além de que o governo brasileiro incentiva a produção de energias alternativas desde 2012.

Outras usinas 

Apesar de não possuírem uma grande expressão na produção energética brasileira, as usinas solares existem no Brasil desde 2011. A empresa MPX construiu em Tauá – Minas Gerais, a primeira do tipo fotovoltaica que produz energia em escala comercial.

Na última segunda-feira (05) o governo brasileiro inaugurou uma usina solar flutuante. Localizada no reservatório da Usina Hidrelétrica de Sobradinho, na Bahia, ela pode produzir até 1MWp. Os planos são de expandir sua capacidade para 2.5MWp nos próximos meses.

Além disso, a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) planeja criar outra usina flutuante no reservatório da Hidrelétrica de Boa Esperança, no Piauí. A previsão para sua construção e funcionamento está para o próximo ano.