Mercado de carros PCD só cresce no Brasil

Os veículos para pessoas com deficiência (PCD) estão em alta no mercado. Nos últimos quatro anos, a venda desse tipo de carro mais que triplicou: em 2012, tinham sido 42 mil unidades. No ano passado, para se ter ideia do crescimento, foram 139 mil carros foram vendidos – números que traduziram uma alta de 31,5% nesse setor em relação a 2015.  No que diz respeito à 2017, a expectativa é que seja ainda melhor que 2016. 

Com todo esse crescimento, o mercado dos veículos PCD começou a contar com modelos exclusivos. Um deles é o Hyundai Creta automático, que sai por R$ 69.990, mas com as isenções, se reduz a R$ 54.665. O Toyota Corolla também tem sua versão PCD, que sai mais em conta e representa 17,2% das vendas desse carro – o maior índice. 

Outras montadoras também apresentaram modelos exclusivos de PCD. O Jeep Renegade sai por R$ 54.665. Além da marca norte-americana, a Peugeot, Renault, Citroen e Nissan também oferecem versões de carros adaptados no Brasil.

As pessoas portadoras de deficiências ou doenças que dificultam ou impedem a locomoção têm direito a comprar veículos com a isenção total de IPI, ICMS e IOF – isso vale para carros de até R$ 70 mil fabricados no Mercosul. Tal fator diminui em R$20 a 30 mil o preço final do carro.

A lei que dita o desconto, está em vigor há mais de 20 anos. Em 2013, ela foi ampliada aos familiares de deficientes que não podem dirigir.