Como o surgimento do 5G vai impactar o setor automotivo?

Na década de 90, o mundo presenciou a chegada do 2G. Dez anos depois, do aprimorado 3G. Em 2010 foi a vez do 4G, e agora, em 2019, o 5G dá as caras. A promessa do lançamento da 5ª geração da internet móvel é antiga. Além disso, espera-se que seja de 10 a 20 vezes mais rápida do que a temos hoje. 

IMPACTO SURPREENDENTE

A partir de um estudo feito pela Qualcomm – fabricante de chipsets para dispositivos móveis – o 5G trará US$ 3,5 milhões e 22 milhões de empregos para a economia. Estes números são equivalentes à economia da Índia. Nessa apuração, a indústria automotiva aparece como uma das mais impactadas pelo avanço. Isso porque a nova rede móvel será essencial no futuro, com os veículos autônomos e conectados.

MUDANÇAS NA PRÁTICA

A expectativa é de que a tecnologia ajude a aumentar a produtividade das montadoras e, consequentemente, aumente o valor das vendas. Outro ponto a ressaltar é que a experiência de motoristas e passageiros contará com soluções conectadas. Um exemplo é a redução de potenciais acidentes de trânsito por meio de ferramentas de realidade aumentada. Dessa maneira, o conceito de dirigir é transformado e ampliado. 


BOA PARTE DA CONTA

Segundo o novo relatório da empresa – o “5G Mobile: Rompendo a Indústria Automotiva” – o 5G no setor automotivo será responsável por aproximadamente 20% do valor que a tecnologia irá girar na economia. Além disso, a rede móvel trará um roteamento mais eficiente. Por fim, um maior número de horas de operação é esperado. 


MAS QUANDO?

Ainda que já esteja programada para chegar em países da Europa e América do Norte, por enquanto, não há uma data clara para o Brasil. A previsão é de que a tecnologia seja implementada no país no ano que vem.