Carro Mais Rápido Do Mundo

Cientistas e engenheiros britânicos estão tentando desenvolver o carro mais rápido do mundo. O veículo chamado Bloodhound SSC faria qualquer carro de fórmula 1 parecer uma bicicleta, ultrapassando, inclusive, a velocidade do som. Enquanto o recorde atual é de 763mph (1227,93 km/h), a expectativa é que carro alcance os 1000mph (1609,34km/h). O projeto foi iniciado em 2007 e a previsão para concretizá-lo é no ano de 2016.

Você pode pensar que o maior desafio é conseguir aceleração suficiente para alcançar a velocidade desejada, mas, segundo os desenvolvedores do projeto, o verdadeiro desafio é encontrar uma aerodinâmica que mantenha o carro no chão, pois além de descaracterizar o recorde, há um grande risco de acidentes (imagine a gravidade de um acidente a 1609 km/h). Para ilustrar um pouco o cenário, basta saber que os aviões decolam a “apenas” 241,4 km/h.

Os recordes de velocidade em terra já foram quebrados várias vezes ao longo dos anos. O curioso é que o primeiro registro foi feito por um carro elétrico. Em seguida vieram os veículos com motores a base de gasolina e diesel, que chegaram até 643 km/h. Durante um longo período, a velocidade máxima ficou estagnada. Com as limitações mecânicas, o foco passou a ser nas pistas, desenvolvendo ambientes cada vez mais propícios para ganhar velocidade. No projeto atual, o local escolhido para a pista foi a África do Sul, em um trajeto de aproximadamente 20 km.

Nas últimas décadas, passaram a utilizar a tecnologia de foguetes como propulsores, fato que permitiu atingir os resultados atuais.

As evoluções tecnológicas vão exercer grande papel nas futuras tentativas de quebrar o recorde. As principais inovações que estão sendo aplicadas nesse projeto são: A evolução dos estudos de aerodinâmica e a presença de supercomputadores, que conseguem simular todo tipo de situações através de cálculos extremamente complexos. Muitas vezes o próprio software faz sugestões que os engenheiros nem imaginavam ser úteis. Outro ponto positivo são os materiais utilizados, que ficam cada vez mais leves e mais resistentes.

As principais intenções do projeto é promover a engenharia britânica, e inspirar a nova geração de jovens ingleses a seguir o ramo. Além disso, existem grandes expectativas de impactar tanto o mundo do design automotivo quanto o da economia do país.