Cadeiras tecnológicas para Olimpíadas de alta mobilidade

Tecnologia e inovação: o Japão incrementa seu evento esportivo como nenhum outro país fez 

Na cerimônia de encerramento das Olimpíadas do Rio de Janeiro, o Japão teve 8 minutos para mostrar que está preparado para receber as próximas edições. Contra todo o classicismo esperado, o país revelou para o mundo que o seu foco está no futuro. Projeções holográficas, dinamismo de luzes, e passagens de vídeo com figuras animadas de animes deixaram claro o alto nível das surpresas que podemos esperar. 

Para arcar com a responsabilidade assumida, diversas empresas do país movimentam  os seus setores de criação para oferecer a cada turista uma experiência única e completa.

Transmissões de jogos em 8K, sistemas de tradução instantâneas para os expectadores, cidade olímpica movida a hidrogênio se complementam com uma inovação que contemplará um público específico: o lançamento de cadeiras de rodas autônomas para a locomoção de pessoas com necessidades especiais.

O produto é um desenvolvimento da Panasonic em parceria com a empresa Whill Inc, e já está sendo testado no Aeroporto Internacional de Tóquio. Mesmo em testes, a cadeira já pasma as pessoas que a utilizam. Tudo devido aos benefícios únicos que ela oferece. 

Dentre os principais, está a possibilidade de guiar seu passageiro automaticamente a determinados destinos, que podem ser escolhidos e programados pela pessoa em um sistema. Caso a pessoa queira assumir o controle sobre o equipamento. isso também é possível. Por último, a peça oferece a chance de acoplar-se a outras transformando-se em uma espécie de trem para guiar diversos usuários de uma única vez a um destino comum.


Todos os testes serão realizados até o começo de 2018, com o propósito do sistema funcionar perfeitamente até o início do evento.