As apostas de Elon Musk

“Se uma tecnologia pode fazer tudo isso, por que não arriscar?”. Essa é a filosofia de Elon Musk, um dos empresários mais bem sucedidos do mundo, hoje a frente da Tesla d e SpaceX, e dono de ideias consideradas, muitas vezes, impossíveis de serem postas em prática.

O centro de seus investimentos é claro e envolve a busca constante pela intensão de levar a sociedade a uma nova etapa de vida. Crente em suas ideologias, ele cria uma empresa a cada projeto novo e investe milhões para que deem certo.

Energia limpa movendo todas as atividades, transporte de pessoas feito por uma rede de tubos, construir um condomínio em marte e fundir o cérebro humanos a um computador: essas são algumas das iniciativas que Musk acredita. Mais do que isso: ele as tira do papel.

Vida em outro planeta – literalmente

Não só ir para Marte, mas viver lá também. Musk tem planejado para que, em breve, isso possa acontecer. A  partir da criação de cidades autossustentáveis, a ideia inicial é enviar a primeira missão não tripulada em 2018, e a tripulada em 2024 – esta com previsão de chegada em 2025.

O passo a passo antes de isso acontecer é demorado. Em primeiro lugar é necessário criar um foguete espacial de grande porte, reutilizável, que possa ser reabastecido no espaço.

Este sistema, nomeado Sistema de Transporte Interplanetário, deverá voar a mais de 100 mil km/h para realizar a viagem entre 80 e 150 dias.

 

Trens que viajam a 1,2 mil km/h

Outra ideia de Elon Musk é criar uma nova forma de transportes. Esta, por sua vez, não seria muito convencional: baseada em tubos de grande diâmetro, com baixa pressão interna, nos quais cápsulas gigantes possam alcançar velocidade muito próxima a 1,2 mil km/h. Com isso, trajetos que levam horas poderiam ser feitos em dezenas de minutos.

Porém, para que isso aconteça, é preciso responder uma série de perguntas. Uma delas é como manter o vácuo por centenas de quilômetros, em uma estrutura sujeita à trepidação. Outra é garantir a segurança dos passageiros e, por isso, o Hyperloop – nome dado ao projeto – deve ser usado inicialmente apenas para transporte de cargas.

 

Energia solar no dia a dia

Musk, o empresário dono da Tesla, acredita na potência das energias limpas e, após levar esse universo para o setor automobilístico, quer implementa-la também no dia a dia e na casa das pessoas.

Para isso, ele lançou uma telha que funciona, sozinha, sem a necessidade de placas sobrepostas, como painel solar. Disponível em quatro opções de design, o produto converte os raios solares em eletricidade. As vendas começam este ano nos Estados Unidos e os preços ainda não estão disponíveis.

A ideia é armazenar a energia produzida em excesso nas baterias de parede – também criadas pela empresa – e garantir luz à casa para as noites ou para momentos de corte de energia.

 

Tecnologia e a busca pela vida eterna

Musk, visto muitas vezes um lunático, acredita que no futuro será possível fundir o cérebro humano a um computador. É por isso que ele investe na Neuralink, uma empresa que pesquisa a produção de dispositivos para integrar as atividades cerebrais a um sistema digital.

O processo aconteceria a partir do neural lace: uma espécie de tela com micro sensores projetada especialmente para ler a atividade do cérebro.

A tecnologia traria benefícios e ajudaria, inclusive pessoas que sofrem de doenças degenerativas a recuperar a memória. Também poderia ser usada para expandir e, de certa forma, “inserir” conhecimento. A ideia seria, além disso, uma passagem para transferir pensamentos, lembranças e até emoções percebidas pelo cérebro para uma versão digital – isso seria a celebração da vida eterna.

 

Carros elétricos

Os números da Tesla, montadora de Musk, impressionam o setor automotivo: em Abril, o valor da companhia ultrapassou US$ 47 bilhões, tomando o lugar da Ford. Dias depois, a empresa superou os US$ 50 bi da General Motors.

Mais que isso: as vendas da empresa, no primeiro trimestre, atingiram o recorde de 25 mil veículos, 69% a mais que no mesmo período de 2016. Isso fez a receita dobrar.

Musk e sua legião de apoiadores creem que a Tesla será maior que as montadoras convencionais por uma razão: o uso de energia limpa. Para ele, carros poluentes já perderam e continuarão a perder espaço.