A tecnologia Start/stop

Alguns motoristas mostram descontentamento com a tecnologia, solicitando retirada do sistema. 

As novidades tecnológicas tendem a surgir nos carros como aspectos atraentes. Isto é: viram tópicos principais, valorizados e que passam a justificar os preços dos veículos. Porém, será que todas elas são benéficas e potencializam a capacidade de performance do carro? Ou melhor, será que todas facilitam a vida do piloto?

D A   F Á B R I C A   A O   C O N S U M I D O R 

As montadoras investem muito dinheiro com o objetivo de tornarem os carros mais eficientes, mais seguros, menos poluentes e mais práticos. Entretanto, uma linha que vai contra o resultado de todo esse empenho – está sendo elaborada por motoristas mais conscientes. Há quem acredite que, em meio a utilização de certo recurso, o veículo possa perder desempenho e, dessa forma, a dor de cabeça pode entrar no jogo

Um exemplo disso é o Start/Stop. Para quem não sabe, esse é o recurso utilizado em carros de categorias mais caras, que o desliga cada vez que há uma parada no sinal. Esse atributo é campeão de rejeição. Alguns motoristas têm a impressão de que a vida útil da bateria de seu veículo pode ser diminuída. Outros acreditam que o motor de partida pode ser impactado negativamente, afinal ele é requisitado a todo momento.

A redução de poluentes, assim como o menor consumo de combustíveis, foram ambos os motivos para desenvolvimento do sistema. Ainda assim, muitos motoristas apresentam grande descontentamento com a tecnologia, solicitando a desabilitação do mesmo. Para os moradores de São Paulo e Rio de Janeiro, o tráfego intenso faz com que o carro ligue e desligue constantemente, tornando o sistema, um processo até mesmo irritante pela repetitividade.

P A S S A D O   O B S C U R O

Antigamente os famosos carburadores geravam problemas para os motoristas. Quem tem mais de 40 anos deve encarar a tecnologia Start/Stop como um positivo divisor de águas. Quando o carro parava no sinal, manter a marcha lenta no motor era um desafio. Muitas vezes o carro morria, deixando os pilotos furiosos.

E L A S    P E N S A R A M   E M   T U D O

Se engana quem pensava que as montadoras quiseram se favorecer com a tecnologia, ignorando suas consequências. O funcionamento do sistema acompanhou o desenvolvimento de diversas precauções e compensações: acompanhe:

  • A bateria principal ganha um reforço com a presença da tecnologia Start/Stop. As montadoras instalaram uma bateria auxiliar para alimentação de outros módulos eletrônicos. Sistema de som, controle de tração, ABS, etc, nunca ficarão na mão nesse caso.
  • O foco principal de energia foi redimensionado com uma maior capacidade. Tudo mediante à preocupação com as solicitações diárias do veículo. Se o sistema detectar pouca carga, o Start/Stop é inibido na hora. O motor, dessa forma, não poderá ser desligado.