7 dicas para reduzir custos em 2020

As altas cargas tributárias, assim como a crise econômica e o aumento da competitividade do mercado,  fez com que a maioria das empresas sentissem na pele os efeitos do conturbado cenário econômico brasileiro. Para manter o seu negócio nos trilhos e não cair no desalento econômico, é necessário cortar ou reduzir custos. Com base nisso, a equipe Roles Conectar reuniu cinco dicas para auxiliar nessa missão: 

1 – Análise de custos

O primeiro passo a ser dado é analisar os custos atuais dentro da empresa. É necessário que todas as despesas sejam registradas, sem exceção. Desde a compra de materiais de escritório até as cortesias dadas aos clientes. Alguns gastos podem parecer irrelevantes, mas ao colocar na ponta do lápis, a quantia pode se tornar significativa.

2 – Água, luz e telefone

Não dá para escapar das contas de água e luz, mas dá para controlar. É possível reduzir valores investindo em torneiras e descargas mais econômicas. Isso em relação a conta de água. A respeito da conta de luz, o que pode compensar, primeiramente, é a troca de lâmpadas incandescentes pelas de LED. Mais adiante, instalar sensores de movimento em locais com pouca movimentação. Por fim, fazer uma revisão do sistema hidráulico e energético. 

O telefone já foi algo indispensável. Mas, com a chegada do smartphone e seus aplicativos de mensagens, o aparelho fixo ficou obsoleto. Dessa maneira, é necessário averiguar se ele é tão imprescindível assim no estabelecimento. 

3 – Fornecedores 

O relacionamento com o fornecedor é tão importante quanto o relacionamento com o cliente. É importante que ambos lados estejam em comum acordo, e que os acordos sejam vantajosos para os dois lados. Apesar disso, renegociar com aqueles antigos é sempre bom. Geralmente são os que você possui mais liberdade, por isso, a fim de garantir valores melhores, a conversa é bem-vinda.

4 – Capacitação

Quando há uma equipe de funcionários capacitada, existe um melhor desempenho na área de atuação. Consequentemente, paralelo a isso, se tem uma performance com menos refações. Funcionários mais ágeis produzem mais, por isso é importante treinar a equipe, levá-la em palestras e cursos. Além disso, uma equipe treinada internamente produz resultados mais rápido do que novos funcionários.

5 – Criação de metas

As metas aqui dizem respeito à redução de gastos. Estabeleça um número em que se pretende chegar. Um exemplo palpável: foram gastos 10 mil reais com saídas de funcionários para reuniões em uma empresa bem grande. A partir da necessidade de economizar, é fixada uma meta de reduzir isso a 5 mil reais. Os recursos para atingir o que é pretendido são vários. Neste caso, a busca por soluções em contato com o fornecedor de serviço de transporte, assim como a busca de alternativas de transporte podem ajudar.

6 – Banco de horas

Quando se estabelece algo do tipo, a despesa diminui consideravelmente. Isso vai depender também do tamanho da empresa. Mas, basicamente, as horas a mais trabalhadas são registradas neste banco, e, posteriormente, transformadas em:

-Saídas para médico

-Saídas para apresentações na escola do filho 

-Viagem emergencial 

-Folga 

De qualquer maneira, o ponto principal é: a empresa não fica recorrentemente pagando horas extras, e sim, compensando.

7- Cheque as formas de contratação 

Aqui, resumidamente, a ideia é não cair na história dos processos trabalhistas. Regularizar o funcionário da maneira correta, com auxílio de profissional (ou consultoria), é quase meio caminho andado. Existem grandes empresas que deixam de lucrar ao final do mês (mesmo produzindo muito) porque possuem inúmeros processos nas costas. Evite isso.